Sertanejo

Valderi e Mizael

Ribeirão Preto / SP

Ouça

Baixe o Flash Player para ver este player.

Coloque no seu site

Copie o código abaixo e cole no seu site.

Release

José Rodrigues de Carvalho, o Valderi, nasceu em Mortugaba-BA. Mauro Petenuci, o Mizael, filho de Ângelo Petenuci e Letécia Petenuci, nasceu em Ubirajara-SP e faleceu na Capital Paulista no dia 05/02/2008, quando contava 64 anos de idade.
Ambos se conheceram no ano de 1972, quando a dupla se formou.
Valderi e Mizael participaram durante 15 anos do inesquecível programa "Linha Sertaneja Classe A", sob o comando de Zé Béttio e José Russo, nos 1000 kHz da Rádio Record de São Paulo-SP. Depois foram mais 5 anos nos 1.100 kHz da Rádio Nacional de São Paulo-SP (hoje Rádio Globo). A dupla também chegou a se apresentar no excelente Programa Viola Minha Viola que vai ao ar pela TV Cultura de São Paulo, apresentado por Inezita Barroso.
De acordo com o IMMUB - Instituto Memória Musical Brasileira, o primeiro LP da dupla foi "O Divórcio", gravado em 1977 pela Gravadora Uirapuru/CBS (350001), com destaque para "Espinho na Cama" (Praense e Compadre Lima), "Caminhando Pela Vida" (Goiá e Marciano) e "O Carro e a Faculdade" (Sulino e José Fortuna).
Também de acordo com o IMMUB, o segundo LP da dupla foi "Valderi e Mizael - Vol. 2", gravado em 1979, também pela Gravadora Uirapuru/CBS (350040), com destaque para "Avião das Nove" (Praense e Ado), "De Cara a Cara" (Nonô Basílio) e "Herança de um Carreiro" (Marciano e Darci Rossi).
Os três primeiros LP's de "Valderi e Mizael" foram gravados na CBS (hoje Sony Music) sob a direção de Orácio Faustino, sendo que "O Carro e a Faculdade" (Sulino e José Fortuna) e "Espinho na Cama" (Praense e Compadre Lima) foram as músicas que projetaram a dupla no mundo caboclo.
De acordo com artigo na inesquecível Revista "Moda e Viola", na época do primeiro LP, "Valderi e Mizael" "... surpreenderam pela maneira diferente de interpretar nossas músicas e principalmente porque foram logo atingindo os primeiros lugares das paradas de sucesso, com seu disco lançado pela CBS. É na humildade que reside todo o valor de um artista. Aqueles que sabem escalar os degraus da fama sem se esquecer de suas origens, permanecem na crista da onda indefinidamente. E 'Valderi e Mizael' sabem disso. Eles conhecem, como nós, muitos que se iniciaram na arte musical dando a impressão de que permaneceriam para sempre e que, no entanto, caíram assustadoramente. O sucesso não pode jamais subir à cabeça de ninguém. E 'Valderi e Mizael' têm cabeça bastante para aquilatar o valor que lhes deu não só a Gravadora CBS, através do Orácio Faustino, mas também todos os programadores espalhados por este Brasil imenso, fazendo rodar os seus discos, e notadamente os fãs que adquiriram seus LP's. É por tudo isso que cremos que 'Valderi e Mizael' vieram para ficar. Estão muito bem orientados pela direção da CBS que tem em Orácio Faustino um batalhador incansável em prol das coisas do Sertão (...) Parabéns, 'Valderi e Mizael'! O início foi ótimo. Que o segundo LP tenha sucesso ainda maior que o primeiro, são os nossos votos."
No início da década de 1980, "Valderi e Mizael" trocaram a CBS pela Copacabana. No entanto, como "nem tudo é perfeito", eles tiveram que se "render" aos interesses comerciais da gravadora, além de uma espera de quase dois anos, já que a Copacabana queria recuperar parte do investimento, relançando velhos "tapes" da dupla, que eram de propriedade da K-Tel. De acordo com Valderi, em artigo publicado também pela Revista "Moda e Viola", "... Essa política em parte foi boa porque ajudou a vender os antigos discos de 'Valderi e Mizael'. Por outro lado, também criou uma grande confusão junto aos nossos fãs, porque todos esperavam alguma coisa nova, e daí a decepção..."
Ainda de acordo com Valderi, "... Resolvemos - em conjunto com José Homero, que é o produtor do disco - modificar o modo de cantar da dupla, para deixá-la ainda mais comercial. Agora, ao invés do dueto, estamos cantando em dissonante, que é um estilo que está tendo uma grande aceitação."
Na época, a música mais solicitada do respectivo LP era "Olho de Vidro" (Manuelito Nunes, João Batista e Mizael).
Calcula-se que "Valderi e Mizael" tenham gravado pelo menos 10 LP's e CD's "de carreira", entre 1977 e 2007, sem contar com algumas coletâneas que foram lançadas, além de participações especiais, dentre as quais merece destaque a faixa 12, "Viúva Rica" (Tião Carreiro e Edward de Marchi), a qual a dupla interpretou juntamente com Daniel no CD "Meu Reino Encantado II", lançado em 2003 pela Warner Music.
Consta também na discografia uma "inversão" do nome da dupla: um LP de "Mizael e Waldery" (com mudança na grafia do nome artístico do José Rodrigues de Carvalho, trocando as letras V por W e I por Y) intitulado "Caminhos de Minha Infância" (CL-4164), gravado pela Califórnia, não constando o ano da gravação. Todas as músicas desse LP são de autoria do grande poeta Goiá, com destaque para as faixas "Ainda Uma Vez Adeus" (Goiá e Sebastião Victor), "Meu Coró" (Goiá e Plínio Alves), "O Mártir do Calvário" (Goiá e Bié), "Vovó Rita" (Waldery e Goiá) e "Estrela Dourada" (Mizael e Goiá), além da faixa-título "Caminhos de Minha Infância" (Ivan Caires e Goiá).
Curiosamente, esse LP de "Mizael e Waldery" possui o mesmo repertório, com a mesma ordem e as mesmas gravações das faixas do LP homônimo de "Valderi e Mizael" intitulado "Caminhos de Minha Infância" (COELP=41569), gravado pela Copacabana em 1981! Observa-se no entanto, que as fotos da dupla no LP de "Mizael e Waldery" são mais antigas, evidenciando que a dupla adotou primeiro o nome "Mizael e Waldery", tendo mudado depois para "Valderi e Mizael"!!
Dentre os diversos sucessos da dupla, merecem destaque as gravações de belíssimas composições musicais tais como "A Enxada de Ouro" (José Fortuna e Jair Sanches), "Olho de Vidro" (Manuelito Nunes, João Batista e Mizael), "Flor de Aquidauana" (Francisco A. do Carmo e Manoelito Nunes), "Espinho na Cama" (Praense e Compadre Lima), "Despedida de um Poeta" (Goiá e Amir), "Abismo Cruel" (Sulino e José Fortuna), "O Carro e a Faculdade" (Sulino e José Fortuna), "Centelha Divina" (Goiá e Amir), "Avião das Nove" (Praense e Ado), "Rei dos Judeus" (Dino Franco e Wanderley), "Conselho de Pai" (Manuelito Nunes e Mizael), "Explode Coração" (Léo Canhoto), "Tardes Morenas de Mato Grosso" (Goiá e Valderi), "Cidade de Santo André" (Julião Saturno e Goiá), "O Mártir do Calvário" (Goiá e Bié), "Rastros na Areia" (Padre Zezinho, Manoelito Nunes e Mizael) e "Caminhos de Minha Infância" (Ivan Caires e Goiá), apenas para citar algumas.
A dupla "Valderi e Mizael" terminou no dia 05/02/2008, quando Mizael passou para o andar de cima, aos 64 anos de idade, após um período internado no Hospital das Clínicas de São Paulo-SP, tendo deixado viúva sua Esposa Elenita Ferreira Petenuci. Seu corpo foi sepultado no Cemitério Jardim da Paz, no Bairro Cachoeira, em Curitiba-PR.
E, em 2009, cerca de um ano e meio após o falecimento do Mizael, Valderi passou a cantar em dupla com Jannel (que formava anteriormente a dupla "Julinho e Janel") sendo que a formação da nova dupla "Valderi e Jannel" foi incentivada pelo compositor Morgado.

Integrantes

Não há nenhum integrante cadastrado

Dados para Contato

Telefone: Não informado
Site: www.recantocaipira.com.br/valderi_mizael.ht
Email: Não informado

Influências


Últimas Fotos

Não há nenhuma foto cadastrada

Shows e Eventos

Não há nenhum evento programado


Últimos Comentários

Não há nenhum comentário cadastrado


Garagem MP3 © 2006-2017 • Política de Privacidade
HomeCifrasCadastre sua BandaContato